Crescem as vendas do Windows 7 e cai o uso do Vista

novembro 3, 2009

O uso do Windows 7 vem crescendo em ritmo acelerado desde o seu lançamento oficial, no dia 22 de outubro.  De acordo com a empresa de estatísticas StatCounter, o uso semanal do novo sistema operacional da Microsoft saltou de 1,75% após o lançamento para quase 3% depois de apenas uma semana no mercado.

As estatísticas fazem referência apenas ao uso do Windows 7 nos Estados Unidos. No entanto, globalmente, a porcentagem aumentou na mesma proporção.Em compensação, o Windows Vista teve uma queda depois do lançamento da nova versão. De quase 36% no dia 12 de outubro, o uso do sistema caiu para 34,5% no final do mês.

Anúncios

Garotinha de 5 anos rouba cena no lançamento do Windows 7

outubro 23, 2009

Kylie, uma garota de 5 anos, subiu ao palco de um evento em Nova York nesta quinta-feira (22), ao lado do diretor-executivo Steve Ballmer, para apresentar o sistema operacional Windows 7. A garotinha com traços asiáticos começou sua carreira na empresa aos quatro anos, quando apareceu na campanha “I’m a PC”, que demonstrava os benefícios de computadores com a plataforma da Microsoft.

Foto: AP

Segundo o “Seattle Times”, Kylie aparece em dois comerciais na TV mostrando as características do novo sistema operacional. “Ela se tornou uma porta-voz extraoficial por representar a simplicidade”, disse Brad Brooks, vice-presidente da área de marketing de consumo do Windows. A plataforma foi lançada oficialmente em todo o mundo na quinta: no Brasil, o valor começa com R$ 330 (versão Basic) e chega a R$ 670 (Ultimate).


Windows 7 traz novos recursos para combater pirataria do software

outubro 23, 2009

O Windows 7 nem tinha sido lançado oficialmente e camelôs da cidade de São Paulo já vendiam o novo sistema operacional da Microsoft por R$ 10. Mas, segundo Osvaldo Barbosa, diretor do grupo de consumo e online da Microsoft Brasil, estes sistemas piratas terão vida curta.

“O Windows não genuíno vai parar de funcionar gradativamente”, explica. Ele conta que o Windows 7 possui mecanismos mais avançados para impedir a pirataria. Um dos recursos é varrer chaves de ativação clonadas e impedi-las de ativar e rodar o sistema.

Além disso, o novo Windows será capaz de realizar automaticamente verificação de autenticidade. Se for detectado que é uma cópia pirata, uma tela preta com o alerta de cópia não genuína é exibida no desktop.

“Ao comprar uma cópia pirata, você não sabe o que vem naquele DVD. Podem vir códigos para roubar dados”, tenta alertar Barbosa. A segurança é o ponto principal na luta da Microsoft contra cópias ilegais.

Segundo a empresa, as cópias ficam sem atualizações importantes que deixam o computador vulnerável e não disponibilizam suporte e serviços de segurança da Microsoft. Um dos extras mais divulgados, apenas para quem tem Windows original, é o Microsoft Security Essentials — um software antivírus gratuito.


Apple abre código-fonte do coração do Snow Leopard

setembro 16, 2009

A Apple abriu o código-fonte de uma partes mais importantes do Mac OS X, o Grand Central Dispatch ( GCD ). A biblioteca libdispatch, componente do GCD , agora está disponível para download sob a licença Apache Software.


O GCD é o subsistema responsável por distribuir e otimizar a execução dos programas pelos processadores e múltiplos núcleos que formam o “cérebro” do Mac. A ideia por trás do Grand Central é evitar que os desenvolvedores percam tempo reescrevendo seus aplicativos para trabalhar com multiprocessadores rodando em paralelo. (Saiba mais sobre as tecnologias do Snow Leopard na matéria X da equação , da revista Mac+.)

Apesar desta abertura tornar possível a adoção do código da Apple por outras plataformas (como o Linux, por exemplo), o trabalho não é tão fácil e envolve barreiras técnicas e legais, como informou o Ars Technica .

Pelo lado técnico, o GCD emprega um tipo de estrutura própria da Apple chamada “bloco”, que ainda não foi adotada pelo grupo que administra o compilador GCC , o que significa que não poderia ser utilizado no Linux imediatamente. Pelo lado legal, a biblioteca libdispatch é distribuída sob licença Apache, a qual não é compatível com a licença GPL 2. A incompatibilidade é resolvida na versão 3 da GPL , mas a maioria das aplicações do Linux ainda utiliza a versão anterior.

Uma Licensa de Uso de Software é um termo entre as partes (desenvolvedor e usuário) que regula como o softwrae pode ou não ser usado e distribuído. A Microsoft, por exemplo, usa um tipo de licença proprietária chamada de EULA (End User Licence Agreement), que protege sua propriedade intelectual, impedindo que o usuário saiba como o software funciona “por dentro”, e tenta impedir a pirataria criminalizando a distribuição do produto a terceiros.

Já as chamadas licenças livres outorgam ao usuário o direito não só de conhecer as entranhas do software como também de modificar seu funcionamento. Uma licença livre permite também que o usuário repasse a terceiros uma cópia do software sem que isso seja considerado pirataria.

No caso do Grand Central Dispatch, a abertura de seu código-fonte foi bem recebida pela comunidade de Software Livre, e poderemos em breve ver frutos disso em outros sistemas operacionais como o Linux e o FreeBSD. Vale lembrar que, assim como esses últimos, o Mac OS X também é um sistema operacional baseado em Unix .

Fonte: www.geek.com.br